Conferências



Apresentação de grandes pensadores-fazedores da atualidade cujos estudos e experiências têm inspirado o desenvolvimento da Cooperação no mundo.

Robert Happé


A beleza da abundância


Lia Diskin


Cooperação em tempos vorazes, onde nada é o bastante


Eduardo Carmello


Cultura Colaborativa nas Organizações: conciliando produtividade com engajamento




Painéis Colaborativos



Diálogos e interações colaborativas com especialistas focando a Cultura da Cooperação em diferentes áreas e relações: Política, Trabalho, Educação, Cidadania, Mídia e Identidade.

Eduardo Marinho


Cooperação e Cidadania


Izabella Ceccato


Cooperação e Cidadania


Alex Bretas


Cooperação na Educação e a Educação para a Cooperação


Arnaldo Bassoli


Cooperação na Educação e a Educação para a Cooperação


Sou psicoterapeuta de indivíduos e grupos. Gosto muito de trabalhar com gente, com grupos, com conflitos. Sou um dos sócios-fundadores da Escola de Diálogo de São Paulo, onde trabalho como professor, facilitador e mediador. Há algum tempo estamos trabalhando também com cooperação e Diálogo na Educação. Estou feliz em estar com vocês no FICOO!

João Francisco Maria


Cooperação na Política e a Política da Cooperação


Tomás de Lara


Cooperação nas Empresas


Luciano Lannes


Cooperação nas Empresas


Gabriel Siqueira


Cooperação, mídia e as RealNews




Oficinas



Práticas com especialistas em Metodologias e Abordagens Colaborativas. As Oficinas acontecerão nos dias 12 e 13/10, das 14h30 às 18h30. Cada participante poderá participar de uma Oficina por dia. As inscrições para as Oficinas serão realizadas no ato do credenciamento e por ordem de chegada, respeitando-se o limite de vagas oferecidas para cada uma delas.

Heloisa Biscaia


A Arte de anfitriar conversas significativas


Venha conhecer e praticar um pouco da essência do ‘Art of Hosting’ a Arte de Anfitriar Conversas Significativas, uma comunidade de prática da Arte da Pergunta, da Escuta e da Colheita, baseada em valores como Presença, Fala com Intenção, Respeito, Participação, Acolhimento.

Atua como educadora, facilitadora de grupos e de processos participativos, guardiã do Art of Hosting no Brasil. Especialista em dinâmica de grupos e Appreciative Inquiry. Diretora na empresa COÍRIS Desenvolvimento Pleno do Ser e suas Relações, realiza consultoria de Desenvolvimento Humano e Organizacional há 15 anos.

Cynthia Ferrari


Acordos de Paz


Tornou-se gestora do Programa Florescendo de Educação Socioemocional do Movimento Awaken Love em 2011, mediadora de conflitos pela Associação Palas Athena/SP e facilitadora de Processos Circulares da Justiça Restaurativa pela Escola Ajuris, de Porto Alegre. Co-criadora da metodologia Acordos de Paz, que une autoconhecimento e comunicação, propondo uma nova maneira de se relacionar.

Essa oficina fará um breve recorte no autoconhecimento focado na comunicação interrelacional. Através de vivências e ferramentas práticas vamos construir juntos os meios para “começar a virar a chave”, na maneira como nos comunicamos, começando pela auto-observação e compreendendo que existe um campo ausente de julgamento que pode ser construído, onde todos podem se encontrar.

Guto Frank


Acordos de Paz


Desde 1991 vem buscando presença, consciência, paz e coordenando grupos de meditação e autoconhecimento. Neste trajeto tornou-se mediador de conflitos pela Escola Superior do Ministério Publico de São Paulo, facilitador em Justiça Restaurativa e fez aprofundamento em CNV (Comunicação Não Violenta). Co criador da metodologia Acordos de Paz.

Essa oficina fará um breve recorte no autoconhecimento focado na comunicação interrelacional. Através de vivências e ferramentas práticas vamos construir juntos os meios para “começar a virar a chave”, na maneira como nos comunicamos, começando pela auto-observação e compreendendo que existe um campo ausente de julgamento que pode ser construído, onde todos podem se encontrar.

José Bueno


Aikidô: A arte da cooperação


Tenho 58 anos, dois filhos e uma netinha linda. Minhas raízes mais profundas estão na Arquitetura e no Aikido. Sonhar grande, fazer pequeno e começar logo é meu mantra preferido. Conheci a arte Aikido em 1984 com mestre Ono. Em 1994 montei minha própria escola, o Dojo Harmonia. Além da formação de faixas-pretas, trabalho com a linguagem do Aikido para provocar uma nova visão sobre liderança, educação e cidadania.

A atividade pretende apresentar a arte Aikido como uma metáfora viva para inspirar os participantes a perceberem os conflitos e tensões da vida diária como um estímulo para criação de vínculos de afeto e harmonia. A partir de uma breve introdução histórica da criação do Aikido por Morihei Ueshiba O-Sensei em meio à 2ª. Guerra Mundial, uma demonstração entre faixas-pretas apresentará o legado de harmonia e cooperação deixado para a humanidade. Alguns princípios do Aikido serão expostos de modo dialógico e vivencial por meio de práticas simples entre os participantes. Entre eles: a presença, o desejo sincero de harmonia, a empatia, a resiliência, a visão para oportunidades e o fluxo como estratégia natural.

Thiago Saldanha


Comunicação Não Violenta e Tomada de Decisão nas Organizações


Atuou durante 7 anos com investimento social em multinacionais. Desde 2015 vem pesquisando e aplicando metodologias de colaboração, co-criação como Dragon Dreaming, Sociocracia, tomada de decisão coletiva e resolução de conflito com base na Comunicação Não-Violenta. Formado pela Educação Gaia e a Schumacher College Brasil.

Você já esteve em a mesa com outras pessoas para tomar uma decisão juntos? Como foi o processo? Neste encontro vamos experimentar como podemos tomar decisões coletivas que: integre perspectivas divergentes em uma proposta, dialogue com resistências e integre objeções de forma que aumente a coesão e o engajamento do time para fazer acontecer. Um processo com base na Comunicação Não-Violenta.

Kiu Coates


Comunicação Não Violenta e Tomada de Decisão nas Organizações


Tem mais de 10 anos de experiência na área de desenvolvimento humano. Atua em grupos e organizações como facilitador de tomada de decisões coletivas, mediador de conflitos e semeador da prática de Comunicação Não-Violenta. Colaborou com equipes do Museu do Amanhã, Agência de Seguros Prudential, escolas públicas, Cirandas Educação e Saúde Criança.

Você já esteve em a mesa com outras pessoas para tomar uma decisão juntos? Como foi o processo? Neste encontro vamos experimentar como podemos tomar decisões coletivas que: integre perspectivas divergentes em uma proposta, dialogue com resistências e integre objeções de forma que aumente a coesão e o engajamento do time para fazer acontecer. Um processo com base na Comunicação Não-Violenta.

Mariana Miranda


Democracia Profunda


Mariana é fundadora da consultoria de comunicação integral Sopro de Pania e trabalha na Reos Partners desde 2012. Trabalhou em diversos projetos de larga escala e abordagem dialógica multisetorial, endereçando temas como desenvolvimento local e internacional, políticas públicas de re-habilitação, mobilidade urbana, democracia, sociedade civil e educação.

Patrizia Bittencourt


Economia Criativa e Colaborativa


A oficina Economia Criativa e Colaborativa segue os princípios da nova economia: mais complexa, conectada, aberta e distribuída. A oficina propõe uma perspectiva nova para buscar o valor talento, pela criatividade, pelo compartilhamento e pela colaboração. Por meio de ferramentas inovadoras e baseada na teoria pensamento complexo e da sociedade em rede, a oficina amplia a visão de mundo que considera mudanças tecnológicas e de comportamento.

Patricia Bittencourt é fluxonomista 4D, e co-fundadora da Des[incubadora] – Incubadora Tailor Made de desenvolvimento de Empreendedores e Negócios. Linguista, mestre em Economia, desenvolve projetos de economia criativa, nova economia, colaboração e sustentabilidade. Co-gestora do coletivo Economia Criativa do Paraná em Rede (REDEC), é facilitadora de modelagem de projetos e empreendimentos culturais e criativos certificada pelo Ministério da Cultura.

Claudio Thebas


Escuta, improviso e Cooperação


É palhaço, escritor, educador e pós graduado em Pedagogia da Cooperação. É sócio da LEC – Laboratório de Escuta e Convivência, empresa voltada ao desenvolvimento de pessoas com foco em cooperação, felicidade e resultados sustentáveis. É criador de vários projetos de transformação social: – Forças Amadas – Tomaraquide – Playmonday. Seus livros já venderam mais de 700.000 exemplares e sua web série “Fala que eu te escuto” tem mais de 1.500.000 acessos. 

Totalmente prática e apoiada em jogos e brincadeiras, a oficina de Escuta, Improviso e Cooperação tem como objetivo propiciar aos participantes a vivência de um estado mais sensível de escuta de si mesmo, do outro, do aqui e do agora. Cada oficina é uma porque cada encontro também é único. E os aprendizados se revelam à partir dessa interação, verdadeira e profunda, com tudo e com todos.

Pá Falcão


Jogos Cooperativos de Tabuleiro


Pá Falcão é um Ser Brincante no Planeta Terra, a serviço de um Mundo Melhor. Foi para Findhorn na Escócia, conheceu os Jogos Cooperativos e descobriu o que queria fazer da vida. Desde então é astróloga, consultora e game designer, sempre usando uma abordagem cooperativa e transdisciplinar em seu trabalho.

Oficina de Jogos Cooperativos de Tabuleiro – jogos de tabuleiro são muito mais que Banco Imobiliário, War e O Jogo da Vida. Nesta oficina experimentaremos alguns jogos de tabuleiro realmente legais.

Ronaldo Crispim


Música do Círculo


Uma vivência musical inclusiva em que cada pessoa é seu próprio instrumento, cantando, criando ritmos e desenhando movimentos no espaço. De uma forma colaborativa e com senso de propósito, a música circular convida os participantes a concretizarem a experiência da comunidade e da diversidade, inspirando as relações e a conexão humana.

Ronaldo Crispim atua com música corporal há mais de 10 anos em ambientes de arte, educação, ação social e corporativo, criando espaços de conexão humana e cooperação por meio do fazer musical coletivo, da escuta, do jogo e da pedagogia da cooperação.

Pedro Consorte


Música do Círculo


Uma vivência musical inclusiva em que cada pessoa é seu próprio instrumento, cantando, criando ritmos e desenhando movimentos no espaço. De uma forma colaborativa e com senso de propósito, a música circular convida os participantes a concretizarem a experiência da comunidade e da diversidade, inspirando as relações e a conexão humana.”

Pedro Consorte é artista-educador de formação híbrida (música e dança), integrou o grupo STOMP por 2 anos, compõe o time de professores do Internatiotnal Body Music Festival e se dedica cada vez mais a processos de aprendizado e desenvolvimento humano.

Zuza Gonçalves


Música do Círculo


Uma vivência musical inclusiva em que cada pessoa é seu próprio instrumento, cantando, criando ritmos e desenhando movimentos no espaço. De uma forma colaborativa e com senso de propósito, a música circular convida os participantes a concretizarem a experiência da comunidade e da diversidade, inspirando as relações e a conexão humana.”

Zuza Gonçalves é músico e artista educador e há mais de 15 anos tem explorado caminhos alternativos no fazer musical coletivo. É educador do Centro de Música do Sesc Vila Mariana e parte do corpo docente do workshop Circlesongs do Bobby McFerrin no Instituto Omega em Nova York.

Arthur Asnis


O Emocionar como fundamento para o cooperar


Arthur é pai da Marina e do Lucas, casado com a Denise. Empreendedor e empresário, atua como executivo em uma empresa que desenvolve soluções de software. Nos últimos 10 anos tem trilhado um caminho de desenvolvimento pessoal associado à linha de pensamento desenvolvida por Humberto Maturana e Ximena Dávila, conhecida por Biologia-Cultural.

Nessa vivência vamos sentir e refletir a respeito da importância das emoções como peça fundamental do fazer cotidiano e, em especial, quando falamos de cooperação ou de colaboração. “As emoções, como fenômeno biológico, pertencem à dinâmica interna da geração do espaço das condutas relacionais que um organismo pode viver em cada instante e são cegos ao contexto relacional do organismo em que surgem” (Humberto Maturana).

Denise Moreira Asnis


O Emocionar como fundamento para o cooperar


Denise é mãe da Marina e do Lucas, casada com o Arthur. Depois de uma história de transformações como executiva da área de RH em instituições financeiras e na Natura, resolver empreender e hoje se dedica a colocar suas experiências a serviço de organizações e de pessoas.

Nessa vivência vamos sentir e refletir a respeito da importância das emoções como peça fundamental do fazer cotidiano e, em especial, quando falamos de cooperação ou de colaboração. “As emoções, como fenômeno biológico, pertencem à dinâmica interna da geração do espaço das condutas relacionais que um organismo pode viver em cada instante e são cegos ao contexto relacional do organismo em que surgem” (Humberto Maturana).

Lucas Moreira Asnis


O Emocionar como fundamento para o cooperar


Lucas formou-se em Comunicação Social, pela Saint Louis University em Madrid (ES). Foi aluno da Escola Waldorf Rudolf Steiner. Cursou a Universidade Viva Inkiri (Piracanga) e passou por um programa na YIP – Youth Initiative Program, escola de empreendedorismo social localizada em Järna (Suécia) e um programa de Biologia-Cultural na escola Matriztica (Chile).

Nessa vivência vamos sentir e refletir a respeito da importância das emoções como peça fundamental do fazer cotidiano e, em especial, quando falamos de cooperação ou de colaboração. “As emoções, como fenômeno biológico, pertencem à dinâmica interna da geração do espaço das condutas relacionais que um organismo pode viver em cada instante e são cegos ao contexto relacional do organismo em que surgem” (Humberto Maturana).

Denise Curi


O Jogo da Política


Eterna mestre-aprendiz, acredita que, como seres em relação que somos, educar deva ser sobre cuidar e regenerar relações. Seu trabalho bebe de sua prática do Yoga, dos anos como pesquisadora acadêmica, das grandes escolas por onde passou (USP, UNICAMP, Harvard, Schumacher College, Sustainability Institute) e, principalmente, de sua curiosidade e vontade de conhecer e se reinventar.

O Jogo da Política, ferramenta pedagógica de educação política, é um conjunto de três metodologias presenciais que simulam os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, levando os jovens a vivenciarem a complexidade da política. O jogo tem como objetivo abordar temas relacionados à política de forma simples, divertida e participativa com o público jovem, despertando a empatia e o interesse por tema tão árido. A partir de perguntas como: “o que é um julgamento?”, “como é dividido o orçamento de uma cidade?”; “como as leis são criadas?”; o jogo instiga o público a descobrir interesses dentro da política, a pesquisar soluções para problemas e, assim, a se tornar mais crítico e participativo. Nesta oficina iremos experimentar dinâmicas do Jogo do Executivo e do Legislativo.

Fernando Conte


Oásis e Filosofia Elos


Fernando Conte tem 29 anos, publicitário formado pela ESPM-SP, com pós-graduação em Sócio-Psicologia pela FESP-SP e em Pedagogia da Cooperação pelo Projeto Cooperação, trabalha no Instituto Elos há 4 anos com foco em Comunicação Institucional e prospecção e seleção de redes e participantes para o programa Guerreiro Sem Armas.

O Jogo OASIS, baseado na Filosofia Elos, fortalece relações entre pessoas, construindo um forte senso de comunidade e de integração pautados pela apreciação, relações autênticas, propósito, cuidado e disposição para agir já. Esta oficina apoia a construção de ações que visem o desenvolvimento de pessoas estimulando competências para engajar grupos e comunidades numa iniciativa cooperativa. Vamos utilizar um jogo que movimenta talentos e recursos locais para transformar lugares e realizar sonhos coletivos! Que tal nos unirmos para criar o futuro dos sonhos?

Roberto Martini


Pedagogia da Cooperação


Consultor especializado em Metodologias Colaborativas e no desenvolvimento de projetos de cooperação no contexto Organizacional; Educacional; Comunitário e na Gestão Pública. Facilita processos de grupos, utilizando Pedagogia da Cooperação; Jogos Cooperativos; Word Café; Open Space; Comunicação Não Violenta e Danças Circulares. Atua prestando consultoria  para projetos voltados a cultura de paz e valores humanos. 

A Pedagogia da Cooperação é uma abordagem criada para ajudar a conciliar produtividade com felicidade, nas empresas, escolas, comunidades, governos, ongs, família e vida pessoal. Nesta oficina, compartilharemos as 7 Práticas da Pedagogia da Cooperação para criar ambientes e relacionamentos onde todo mundo pode VenSer quem é, para poder SerVir mais plenamente ao bem comum.

Ritmo



11 OUT
quinta-feira
14h00 – 18h00

Recepção, credenciamento e atividades de conexão

18h30 – 19h15

Abertura do FICOO 2018

19h30 – 20h30

Conferência

ROBERT HAPPE
A Beleza da Abundância

20h30 – 21h00

Celebrar a Comum-Unidade FICOO

13 OUT
sábado
09h00 – 09h30

Atividades de Com-fiança

09h30 – 11h00

Laboratório de Com-Vivência

11h00 – 11h30

Tempo livre
Mercado Colaborativo

11h30 – 13h00

Feira de Boas Práticas Cooperativas

13h00 – 14h30

Tempo livre
Mercado Colaborativo

14h30 – 18h30

Oficinas de Cooperação

1. Pedagogia da Cooperação
2. Acordos de Paz
3. Danças da Paz Universal
4. Juegos Cooperativos y Derechos Humanos
5. Aikidô: a arte marcial da cooperação
6. Oásis e Filosofia Elos
7. Jogos Cooperativos de Tabuleiro
8. O emocionar como fundamento para o cooperar
9. Thinking environment
10. Good Truck – Cooperações inesperadas
11. O Jogo da Política

18h30 – 19h00

Tempo livre
Mercado Colaborativo

19h00 as 21h00

Festa DIVER

12 OUT
sexta-feira
09h00 – 09h30

Atividades de conexão e de cuidado

09h30 – 11h00

Painel Colaborativo
A Cooperação nas Empresas: Produtividade com Felicidade

09h30 – 11h00

Painel Colaborativo
Cidadania: A Cooperação nossa de cada dia

09h30 – 11h00

Painel Colaborativo
Cooperação na Educação e a Educação para a Cooperação

09h30 – 11h00

Painel Colaborativo
Cooperação multimídia e as “RealNews”

11h00 – 11h30

Tempo livre
Mercado Colaborativo

11h30 – 12h30

Compartilhar in-quieta-ações a respeito da prática da cooperação no Brasil e no Mundo

Comum-Unidade FICOO

12h30 – 13h00

Celebrar o VenSer juntos

13h00 – 14h30

Tempo livre
Mercado Colaborativo

14h30 – 18h30

Oficinas de Cooperação:

1. A Arte de Anfitriar conversas significativas
2. Juegos Cooperativos y Derechos Humanos
3. Escuta, Improvisão e Cooperação
4. Música Circular
5. Oásis e Filosofia Elos
6. Democracia Profunda
7. Design Thinking
8. Economia Criativa e Colaborativa
9. Libras: a Comunicação do Coração
10. Good Truck – Cooperações Inesperadas
11. CNV e Tomada de Decisão nas Organizações

18h30 – 19h00

Tempo livre
Mercado Colaborativo

19h00 – 20h30

Conferência

LIA DISKIN
Cooperação em tempos vorazes, onde nada é o bastante

20h30 – 21h00

Celebrar a Comum-Unidade FICOO

14 OUT
Domingo
09h00 – 09h30

Atividades de cocriação

09h30 – 11h00

Painel Colaborativo

Cooperação na Política e a Política da Cooperação

11h00 – 11h30

Tempo livre
Mercado Colaborativo

11h30 – 12h30

Cocriar soluções como-uns e desenhar projetos para promover ainda mais cooperação no Brasil e no Mundo

12h30 – 14h00

Conferência

EDUARDO CARMELLO
A Cultura Colaborativa nas Organizações: conciliando engajamento com produtividade

14h00 – 15h00

Celebração FICOO 2018 e lançamento FICOO 2020.